Município


A Vila de Quevedos


Contam que a "igrejinha" de Quevedos, que deu nome ao povoado de Igrejinha, foi construída, em 1820, por Josefa Quevedo, filha de Joaquim Quevedo, enterrado no cemitério velho. Os terrenos ao redor da capela teriam sido doados por Josefa. "Mais tarde, o agrimensor Aparício Oliveira Cardoso, a mando da Intendência, dividiu o polígono, deixando duas grandes praças, a atual e a outra".

Um registro de escritura de 20 de junho de 1896, de Maria do Rosário Bueno de Quevedo, filha de José de Quevedo de Macedo, cita: "lugar denominado Rincão de São João, junto à Igreja Nossa Senhora dos Remédios". A denominação "Igrejinha" foi trocada pelo Decreto nº 7.589 de 29 de novembro de 1938, para "Quevedos". Os mais antigos moradores do lugar, segundo Inocêncio dos Santos foram: "Antonio Quevedo, Joaquim Soares - que morava além do cemitério - e um tal de Fagundes - de São Martinho.

Napoleão Alves Bueno cita: "Dorval Costa Marques - que teve casa de comércio em 1905, Laudelino Duarte, Cristiano Alves de Quevedo, Capitão Antonio Cândido, Gabriel Rodrigues da Luz, Joaquim Alves de Quevedo, João Rodrigues dos Santos, Lindolfo Rodolfo Algerich, João Ventura, Maria Justa (multa velha que morava onde está o ginásio) e Honorina Amaro Cavalheiro (mãe do Capitão Toríbio).

Em 1931, a planta do povoado constava com uma área de 80.000 m², dividida em 60 lotes (Decreto nº 48 de 16.6.1931 - Livros de Decretos e Leis da Prefeitura Municipal). Em uma planta de 1950 (cópia de Lourenço M. Gomes - Secretário de Obras em 15.2.1950), estão marcados 67 lotes numerados, com 27 casas. Em 1939, o povoado de Igrejinha recebe os foros de Vila (administração Correa da Silva - Prefeito de Julio de Castilhos).

 

 

Voltar

Câmara Municipal de Quevedos ©2005-2018 - Desenvolvido por PROSIS Informática